Como Funciona o Radar de Velocidade? Guia Simplificado

Saiba o que é, qual é a função, quais são os tipos e como funciona um radar de velocidade. Sinalização e placas para radares. Multa por excesso de velocidade e mais.

como o radar de velocidade funciona

Quer saber como funciona o radar de velocidade? Saiba que esse é um instrumento eletrônico usado na fiscalização de trânsito. E esse equipamento geralmente é motivo de preocupação para muitos motoristas, sem falar que é um assunto que da o que falar na conversa entre amigos. Isso porque sempre tem alguém que acaba comentando que possivelmente tenha levado uma multa e que a mesma tenha vindo de um radar.

Essa é uma tecnologia usada pelos órgãos de trânsito para controlar a velocidade dos veículos automotores em circulação nas ruas das cidades e também nas estradas e rodovias. E o equipamento tem a finalidade de coibir que os motoristas trafeguem com excesso de velocidade, por isso os radares eletrônicos estão presentes na maioria as cidades.


A grande maioria dos motoristas imaginam que os radares são coisas simples, mas saiba que existe muita tecnologia empregada para que esses equipamentos funcionem corretamente.

Então, para que você não tenha mais dúvidas sobre como é o funcionamento dos radares de velocidade resolvemos elaborar esse conteúdo completo com todas as informações à respeito desses equipamentos.

O que é radar de velocidade?

O radar de velocidade é um dispositivo móvel ou fixo que emite ondas eletromagnéticas captando dessa forma a sua reflexão, calculando assim a velocidade do veículo.


Saiba que existem diversas maneiras de medir a velocidade de um veículo tanto nas ruas da cidade como nas estradas e rodovias, e uma delas é através do radar.

Mesmo sendo o meio mais usado, ele não é o único, as pessoas é que se acostumaram a chamar todos esses equipamentos de radares, mais existem também os medidores de velocidade.

Qual é a função dos radares de velocidade?

Não é novidade para ninguém que o trânsito aqui no Brasil apresenta um número elevado de acidentes todos os anos, tudo por causa da combinação de dois fatores, o fator principal que é a imprudência dos motoristas, e o outro fator é a precária infraestrutura das vias.

Então a função dos radares é garantir o monitoramento das ruas, estradas e rodovias com o objetivo de controlar a velocidade dos motoristas, e também evitar que os semáforos sejam cruzados indevidamente quando estiverem fechados.

Sem falar que o emprego desse equipamento para os órgãos de trânsito é uma forma barata, fácil e rentável para fazer esse controle.

Tipos de radares de velocidade:

Já sabendo o que é um radar de velocidade e qual a sua função, acreditamos ser importante que também conheça quais são os tipos de radares de velocidade que existem.

Atualmente existem 04 tipos de radares de velocidade em funcionamento, e ambos são regulamentados pela resolução nº 396 de 13/12/2011 do Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN). Conheça os tipos:

Estático:

O radar de velocidade tipo estático é bastante usado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), onde o equipamento fica localizado dentro da viatura policial, ou em tripés de sustentação.

O dispositivo é capaz de fotografar o veículo se identificado o excesso de velocidade do mesmo, geralmente ele é instalado em pontos específicos de uma rodovia onde naquele local os índices de acidentes são maiores, ou então que ofereçam algum risco pros usuários da via.

Fixo:

Esse tipo de radar é aquele que fica instalado nas vias, geralmente em postes próprios, esse equipamento também consegue fazer a captura de imagens de veículos onde a mesma servirá de prova para notificar o condutor.

Radares fixos são instalados juntamente à sensores que ficam no chão, marcando assim a área de atuação do registro e melhorando o aferimento da velocidade.

Móvel:

O radar de velocidade do tipo móvel funciona praticamente como o estático, onde o mesmo é instalado nas viaturas policiais e se mantem em movimento. Mas saiba que nesse caso a imagem do carro não é capturada.

Portátil:

Os radares de velocidade do tipo portáteis são aqueles que costumamos ver operados pelos agentes de trânsito, são equipamentos usados somente em ocasiões específicas, onde não há necessidade de fazer a instalação como se fosse um radar estático.

Esse equipamento necessita ser direcionado para o veículo que está em alta velocidade. Ele também não faz a captura de imagens, e o mesmo funciona calculando o tempo que o veículo leva do ponto onde a marcação se inicia, até ele cruzar com o agente de trânsito. Dessa maneira é possível determinar em que velocidade o carro estava.

Como funciona o radar de velocidade?

Saiba que existem diferenças entre o funcionamento de um radar do tipo móvel e um do tipo fixo, essa diferença é devido as suas diferentes formas de fazer a captação da velocidade.

Nos radares fixos sensores magnéticos são inseridos no asfalto, bem próximos uns dos outros, de uma maneira que é possível determinar o tempo que um automóvel leva para passar de um determinado ponto à outro, calculando assim a sua velocidade.

Se por acaso o limite de velocidade permitido naquela via for excedido pelo condutor do veículo, então os sensores acionam a câmera. Geralmente a câmera fica instalada na parte de cima da via, ou então na lateral dela fazendo o registro da imagem do veículo.

Enquanto os radares móveis conseguem captar a velocidade por meio da percepção de ondas eletromagnéticas que são emitidas em direção do veículo que está em movimento.

A sinalização dos radares de velocidade é obrigatória?

Conforme resolução nº 396 de 2011 o CONTRAN (Conselho Nacional de Trânsito), determinou não existir nenhuma obrigatoriedade em sinalizar os radares de trânsito.

Com algumas exceções como por exemplo as lombadas eletrônicas, essas sim devem ser obrigatoriamente sinalizadas. Mas antes da resolução placas de regulamentação deveriam sim ser colocadas em todos os casos.

Saiba que isso sempre gerou muita polêmica por parte dos condutores, e isso fazia com que eles tentassem recorrer de multas baseando-se na não sinalização.

Por isso, conhecer as leis de trânsito e suas resoluções são importantes para que entenda que poderá cometer uma infração de trânsito por excesso de velocidade sem se dar conta disso a todo e qualquer momento.

Os radares de velocidade devem ser acompanhados de placas?

As placas de trânsito do tipo R-19 como são conhecidas devem acompanhar somente os radares de velocidade do tipo fixo, esclarecendo assim o limite de velocidade daquela via conforme artigo 6º da resolução 396 de 2011.

E não podemos deixar de mencionar que as placas devem estar muito bem legíveis, e também em bom estado de conservação, e sem nenhuma alteração conforme artigo 90 do CTB (Código de Trânsito Brasileiro).

E com relação aos radares móveis, portáteis e estáticos, saiba que tanto nas rodovias e nas estradas o monitoramento é permitido mesmo não existindo placas R-19 de velocidade na região. Isso conforme artigo 7º da resolução nº 396/11.

Multas por excesso de velocidade flagradas pelos radares:

O número de multas aplicadas por excesso de velocidade infelizmente não para de crescer, sendo ela uma das principais infrações de trânsito cometidas pelos condutores, ela só perde para as infrações onde os motoristas são flagrados dirigindo fazendo uso do aparelho celular.

Todos os anos são aplicadas mais e mais multas por excesso de velocidade, mas no entanto o resultado que os órgãos de trânsito esperavam é que o número de acidentes por esse motivo seriam reduzidos, mas infelizmente isso não tem ocorrido.