Tipos de Cinto de Segurança Para Veículos: Conheça Todos

Entenda o que é, qual a importância, e quais são os diferentes tipos de cinto de segurança para veículos. Saiba como funcionam, como usar da forma certa, manutenção do cinto, e o que diz a lei sobre eles.

quais são os tipos de cinto de segurança para veículos

Deseja saber quais são os tipos de cinto de segurança para veículos que existem? Aprender mais sobre esse item de segurança que surgiu a bastante tempo atrás é essencial para a segurança de todo e qualquer ocupante de um veículo automotor. Ele é de uso obrigatório em todos os automóveis brasileiros, mas o mesmo ainda acaba gerando algumas dúvidas à respeito da sua utilização e também conservação por parte de donos de carros e seus ocupantes.

Tenha em mente desde já que o cinto de segurança é responsável pela diminuição de danos causados aos ocupantes de veículos em casos de acidentes, mas infelizmente muitas pessoas ainda não sabem como usá-los corretamente para ter mais segurança. Seja no volante dirigindo, ou nos bancos dos passageiros.


Então, para você não ter mais dúvidas sobre os tipos de cinto de segurança que existem, qual a sua importância, como funcionam. Preparamos esse texto completo repleto de informações importantes sobre esse essencial equipamento de segurança automotivo.

O que é cinto de segurança?

O cinto de segurança é um dispositivo desenvolvido para proteger tanto o motorista, quanto os passageiros de um veículo de possíveis impactos fortes no interior do automóvel, ou então impedir que um ocupante do carro seja arremessado para fora do mesmo em caso de acidentes.

O item contribui na redução de riscos de ferimentos na cabeça, no pescoço, no rosto e na coluna.


E como é um equipamento de proteção essencial, o mesmo é obrigatório em praticamente todo veículo motorizado, com exceção das motos onde o piloto no caso usa o capacete.

Como funciona o cinto de segurança para veículos?

Sabendo da importância de fazer uso do cinto de segurança, e conhecendo um pouco mais sobre a história desse importante dispositivo de segurança, é bom entender como ele funciona. O item tem um funcionamento bastante simples e muito interessante.

Então saiba que para o cinto funcionar da maneira certa, o mesmo necessita dissipar aquela grande força que o seu corpo recebe durante uma colisão, e isso só é conseguido através da faixa de material flexível que passa pela cintura e pelo tórax que está muito bem fixada em lugares muito resistentes do veículo.

Mas tenha em mente que o cinto de segurança é muito mais que isso, pois ele possui um mecanismo interno que fica localizado na coluna B do automóvel, e que a mesma é determinante para aumentar sua eficiência.

O sistema é formado por uma bobina e também uma mola, fazendo assim o excesso do cinto se enrolar como se fosse um carretel, mantendo dessa forma a faixa de tecido bem justa ao corpo das pessoas.

Essa bobina por sua vez conta com dentes bem parecidos ao de uma engrenagem, e também uma espécie de pêndulo.

Caso o automóvel venha a desacelerar de forma brusca, ou então o cinto de segurança venha a ser puxado com força, a inércia fará com que esse pêndulo se encaixe nos dentes da bobina, travando assim o seu movimento.

Dessa maneira, o corpo da pessoa se manterá firme no banco do carro e na posição mais segura.

No caso dos veículos mais modernos, existe também o pré-tensionador, que nada mais é que um mecanismo que fica ligado ao sensor do airbag.

Assim, caso esse dispositivo venha a determinar o acionamento da bolsa inflável do airbag, o mesmo também enviará um sinal para o pré-tensionador, tornando o cinto muito mais justo naquele exato momento, aumentado dessa forma a proteção.

Tipos de cinto de segurança para veículos:

Agora que já sabe como funciona o cinto de segurança, está na hora de conhecer quais são os seus tipos. Saiba que um modelo se difere do outro devido a quantidade de pontos e extremidades que estão conectados ao veículo.

Conheça em detalhes todos os tipos:

Dois pontos:

O cinto de segurança tipo dois pontos surgiu na década de 80 para modelos de automóveis populares, onde sua principal característica era proteger a cintura e impedir que o corpo das pessoas fossem lançados para frente em caso de alguma colisão, ou alguma frenagem muito brusca.

Mas estudos comprovaram que esse tipo de cinto poderia causar problemas na lombar e também na coluna, e com isso a legislação foi alterada passando a exigir que o cinto de segurança teria de proteger também os ombros.

Atualmente esse tipo está presente em aeronaves comerciais e em alguns bancos traseiros de alguns modelos de carros.

Três pontos:

Esse modelo possui o formato de “Y”, protegendo a cintura, o tórax, os ombros e a bacia dos usuários. É praticamente o tipo mais eficiente entre todos os modelos existentes, pois ele simplesmente proporciona a segurança completa para seus usuários.

Sem falar que estudos já comprovaram a eficiência do item de segurança, onde oferece muito mais absorção de impactos causados por acidentes e frenagens bruscas.

Quatro pontos:

Esse tipo de cinto de segurança é mais utilizado em jipes e veículos de trilha. Ele ajuda a diminuir riscos de lesões graves em acidentes graves com capotamentos e colisões muito fortes.

Cinco pontos:

Tipo de cinto muito utilizado por carros de arrancada e corrida, e funciona praticamente da mesma forma que o cinto de segurança infantil que está presente nas cadeirinhas usadas para transportar crianças em segurança.

Ele oferece dupla proteção para os ombros ligando as correias entre as pernas do motorista ou da criança.

Seis pontos:

Esse tipo foi inventado para ser utilizado em carros de corrida de competição como por exemplo a Nascar, onde os automóveis atingem altas velocidades. Seu principal objetivo é proteger o pescoço do motorista e também manter seu corpo estático.

Como usar o cinto de segurança da forma certa?

Conhecendo quais são os tipos de cintos de segurança, é extremamente importante saber como usá-lo corretamente, então em 1º lugar faça o ajuste do banco para que você fique posicionado adequadamente para poder dirigir, ou para se acomodar como um passageiro.

Em seguida ao puxar o cinto para colocá-lo preste muita atenção para ver se ele está passando sobre o ombro e também sobre o tórax.

Em 2º lugar afivele a lingueta até ouvir o clique que indica que o cinto está afivelado.

Depois de afivelado observe com atenção se o cinto não está pegando no pescoço, e se estiver terá de corrigir, já que o certo é passar sobre o ombro, ao invés da lateral do pescoço.

E a parte debaixo deve passar sobre o quadril e jamais sobre o estômago ou abdômen. E outra dica é para nunca deixar a correia torcida, nem justa demais e nem folgada demais.

O que a legislação diz sobre o uso do cinto de segurança?

Conforme lei nº 9.503 de 23 de setembro de 1997 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), o artigo nº 65 diz que o uso do cinto de segurança é obrigatório tanto para o motorista e passageiros em todas as vias do território brasileiro.

Salvo em alguma situação que são regulamentadas pelo Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN).

A lei deixa bem claro a obrigatoriedade de fazer uso do cinto para todos os ocupantes do veículo, e isso também vale para quem anda no banco traseiro.

Conforme dados da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet), saiba que 97% das pessoas que andam nos bancos dianteiros usam o cinto, e mundialmente o Brasil é um dos países que lideram esse ranking.

Mas na parte de trás do veículo, ou seja no banco traseiro acontece o contrário, somente 7% dos passageiros fazem uso desse importante equipamento de segurança.

E não podemos deixar de mencionar que pessoas que transportam animais de estimação no banco traseiro devem obedecer a lei, fazendo uso de cintos próprios para animais, ou devem fixar corretamente a caixa de transporte ao cinto de segurança do próprio veículo.

E o motorista que for flagrado descumprindo essa lei, está sujeito a multa pois se trata de uma infração de trânsito de natureza grave, e também perderá pontos na sua CNH.

O motorista também será penalizado se por ventura algum de seus passageiros vier a descumprir essa lei de trânsito.