Para Que Serve a Injeção Eletrônica? Entenda o Sistema

Saiba o que é, e entenda para que serve a injeção eletrônica. Suas vantagens. Diferença do carburador. Quais são seus componentes e quais são os tipos de injeção. Sistema de alimentação, funcionamento, cuidados, principais problemas, manutenção e mais.

qual é a função da injeção eletrônica

Saber para que serve a injeção eletrônica é essencial, afinal de contas é um sistema importantíssimo para o bom funcionamento de um veículo, pois ela é a responsável em fazer a mistura do combustível com o ar. O que resulta na alimentação e depois na combustão dentro do motor.

A invenção do sistema de injeção eletrônica foi de grande valor para os veículos, pois além dela fazer toda a alimentação do motor, fez a substituição dos carburadores. O sistema também controla outras partes muito importantes que são voltadas à direção do automóvel, sem falar que a injeção eletrônica emite muito menos gases poluentes que são nocivos ao meio ambiente e a nossa saúde.


Justamente por isso, é importante saber para que serve, como funciona e também como cuidar de todo esse sistema que é de extrema importância para seu veículo.

Então, para que você não tenha mais dúvidas sobre o funcionamento desse sistema, preparamos esse conteúdo completo onde nele responderemos todas as suas perguntas. Por isso, fique conosco até o final dessa interessante leitura, e saiba tudo sobre a injeção eletrônica.

O que é a injeção eletrônica?

O sistema de injeção eletrônica é responsável por gerenciar o processo da alimentação de forma totalmente eletrônica como o próprio nome já diz, reduzindo assim poluentes do ar.


Sendo o componente responsável por fazer a substituição do carburador que era mais poluente. Modernos sensores presentes no motor do carro fazem a regulagem e também dosam a quantidade certa de combustível que é injetado, sem falar também no controle da intensidade do ar.

Tudo isso faz com que a mistura estre os 2 componentes ar/combustível fique muita mais equilibrada fazendo com que o motor venha a funcionar muito melhor.

Sem falar também que o sistema eletrônico contribui com a diminuição do consumo de combustível. Pois a injeção eletrônica é um software nos motores dos veículo que representa grande avanço tecnológico para a indústria automotiva.

Sensores presentes no sistema fazem a injeção do combustível, realizam a mistura que o automóvel precisa adequadamente simplesmente porque se baseiam em informações que são processadas computadorizadamente.

E todo esse processamento é feito pela ECM (Módulo de Controle do Motor).

Vantagens da injeção eletrônica:

Como já mencionamos, a injeção eletrônica faz com que o motor do veículo trabalhe em condições mais ideais, adequando assim o consumo de combustível e também o processo de combustão que por sua vez fica muito mais eficaz e econômico.

Sem falar de outras vantagens que o sistema oferece, confira quais são:

  • Menor emissão de gases poluentes na atmosfera;
  • Partidas muito mais rápidas;
  • Maior rendimento do motor;
  • Análise mais eficiente para consertos;
  • Economia no consumo de combustível.

Quais são os componentes da injeção eletrônica?

Agora que já sabe o que é, e quais são as vantagens do sistema de injeção eletrônica, acreditamos que é muito importante conhecer quais são os seus componentes. São eles:

  1. Sensores;
  2. Central de informações;
  3. Atuadores.

Tipos de injeção eletrônica:

O sistema da injeção eletrônica tanto pode ser analógico, que é o mais simples, e pode ser também digital onde o mesmo permite atualizações em seu software. Conheça agora a diferença e as características de cada um desses sistemas:

  1. Analógica;
  2. Digital;
  3. Programável.

Para que serve a injeção eletrônica?

A injeção eletrônica é o sistema responsável por fazer o envio do combustível de forma totalmente controlada para o motor do veículo, e esse equilíbrio é garantido por um chip eletrônico onde o mesmo faz uma análise do funcionamento do motor, ajustando assim a alimentação para que um melhor desempenho seja conseguido.

O principal objetivo do sistema é diminuir as emissões de gases que são poluentes, pois como o chip controla a entrada de combustível e também de ar no motor conforme suas faixas de rotação, a combustão fica muito mais eficiente.

Dessa forma o veículo consegue ganhar maior eficiência energética, tendo o seu nível de emissões de gases reduzido.

E não podemos deixar de mencionar que além de contribuir para o meio ambiente, o sistema de injeção eletrônica também faz o controle do tempo da ignição, da marcha lenta, e em alguns modelos de automóveis também faz o controle das válvulas.

Como funciona o sistema de injeção eletrônica?

Agora que já sabe para que serve a injeção eletrônica, entenda em etapas simples como ela funciona:

  1. Etapa 1: ao dar a partida no veículo, os pistões irão fazer o movimento de subir e descer, após isso ocorrer o sensor de rotação irá informar essa atividade para a central do sistema de injeção;
  2. Etapa 2: já na segunda etapa o pistão irá então gerar uma aspiração no coletor e também um vácuo na atmosfera, onde esse vácuo irá passar pela borboleta de aceleração e também por um medidor para conseguir chegar nos cilindros do motor;
  3. Etapa 3: nessa última etapa a central de informações já terá a informação precisa sobre o volume de ar admitido, identificando assim o que fazer exatamente com essa unidade para permitir assim que as válvulas de pressão obtenham a quantidade de combustível certa para que o sistema de injeção eletrônica funcione corretamente. E é dessa forma que se estipula a quantidade ideal de combustível e de ar que o veículo necessita.

Principais cuidados com o sistema de injeção eletrônica:

Para que todo o sistema de injeção eletrônica venha a funcionar corretamente tenha em mente que ter cuidados para isso é mais que essencial, manutenções preventivas são fundamentais para manter todo o bom funcionamento do carro.

E jamais se esqueça por escolher fazer uso de um combustível de qualidade. Saiba que a falta de manutenções e cuidado interfere na vida útil da injeção do veículo, por isso confira algumas dicas para cuidar melhor do seu sistema:

  • Faça uso de um combustível de qualidade sempre, pois um combustível ruim poderá diminuir a duração do sistema;
  • Realize manutenções preventivas: faça regularmente manutenções preventivas em seu veículo, com ela conseguirá avaliar muitas peças que podem estar danificadas e também aproveitar para fazer uma limpeza nos bicos injetores, assim evita acúmulo de resíduos e sujeira no sistema;
  • Não fique bombeando o acelerador do carro: caso o motor demore a ligar, não precisa forçá-lo, pois pode ser um sinal de que algo não esteja funcionando bem, e bombeando o acelerador faz o motor desligar e ligar excedendo de combustível a câmara de combustão;
  • Jamais deixe de trocar o óleo do motor: verifique no manual do seu modelo qual é o período correto para fazer a troca de óleo, também contribuirá para que menos resíduo se acumule;
  • Aumento no consumo de combustível: como já mencionamos uma das funções da injeção eletrônica é contribuir para a redução no consumo de combustível, por isso se perceber que seu automóvel está consumindo mais que o habitual procure levar o veículo até uma oficina mecânica para uma análise;
  • Fique atento com as luzes acessas no painel: todo veículo com injeção eletrônica possui em casos de pane no seu sistema uma luz que se acende no painel, fique atento pois caso ela venha a se acender leve o carro imediatamente para o mecânico.

Problemas mais comuns na injeção eletrônica:

O sinais mais comuns de possíveis problemas na injeção eletrônica vão surgindo obviamente com o tempo, aos poucos e conforme a utilização do veículo.

Por isso o motorista sempre deve ficar atento para não prejudicar o bom funcionamento do automóvel e danificar assim componentes da injeção.

Se por acaso o veículo perder sua potência, o motor começar a engasgar e apresentar falhas enquanto estiver funcionando, pode ser um indício que alguma peça da injeção esteja com algum defeito ou falha.

E caso perceber que o carro esteja apresentando baixo rendimento relacionado ao consumo de combustível em marcha lenta, apresentando um comportamento diferente, principalmente quando você pisa no acelerador e percebe uma redução na potência e maior dificuldade na retomada de velocidade, também pode ser um indicativo de problemas, e que os mesmo precisam ser verificados.