Como Funciona a Vistoria Cautelar Veicular? Guia Básico

Entenda neste artigo o que é, para que serve e como funciona a vistoria cautelar veicular. Saiba o que é avaliado, laudo, custo, quem paga, o que pode provocar reprovação. Dicas de como escolher uma empresa para fazer a vistoria e muito mais.

como a vistoria cautelar veicular funciona

Se está pesquisando sobre como funciona a vistoria cautelar veicular, provavelmente está querendo vender ou então comprar um carro usado ou até mesmo um modelo seminovo. Saiba que ela é essencial tanto para quem está vendendo, como para quem está comprando. Pois o principal objetivo dessa vistoria é identificar possíveis problemas com o veículo, e assim deixar a negociação mais segura para ambas as partes.

Fazer a aquisição de um veículo é o sonho de muitas pessoas que trabalham duro para alcançar esse objetivo, e justamente por isso muitos cuidados precisam ser tomados no momento da compra ou venda. E essa é uma forma de se prevenir de futuros problemas, garantindo assim uma boa compra assegurando que o automóvel esteja em boas condições de uso para que você possa usá-lo sem ter dores de cabeça.


Então, para que você não tenha mais dúvidas sobre a vistoria cautelar veicular, preparamos esse guia básico completo com todas as informações que necessita saber à respeito desse assunto tão importante. Por isso, fique conosco até o fim desse texto e tenha todas as suas dúvidas respondidas.

O que é a vistoria cautelar e para que ela serve?

A vistoria cautelar é um check-up geral de um veículo, essa vistoria será a responsável em dizer se o carro que pretende comprar está em boas condições de uso, podendo ser ele um modelo usado e também um seminovo.

Ela irá analisar todo o histórico do veículo desde o seu emplacamento, e dessa forma é possível descobrir se o automóvel já sofreu algum acidente, se o mesmo possui pendências judiciais, se já passou por leilão, verificar se a sua quilometragem é a original mostrada no hodômetro, entre outros.


A vistoria irá verificar também se os documentos do veículo estão em dia e não possuem pendências.

Resumindo, ela é um verdadeiro raio-x que auxilia quem busca fazer uma boa aquisição, e também serve para quem está vendendo o veículo, pois assim o vendedor consegue provar que o mesmo está em boas condições de uso. Em suma é uma garantia para ambas as partes.

O que é avaliado na vistoria cautelar?

Agora que já sabe o que é e para que serve esse tipo de vistoria, acreditamos ser do seu interesse saber também o que é analisado durante todo o processo da vistoria.

Nesse caso o vistoriador responsável analisa tanto as condições físicas no qual o veículo se encontra, como também a parte documental.

Segue a relação do que é vistoriado e analisado:

  • Numeração do chassi e sua legibilidade;
  • O motor do veículo e suas condições;
  • Funcionamento dos freios dianteiros e traseiros;
  • Estado de todos os vidros do veículo;
  • Alinhamento e balanceamento dos pneus e rodas;
  • Funcionamento do câmbio;
  • Amortecedores dianteiros e traseiros;
  • Qualidade da pintura do automóvel para saber se é original de fábrica ou não;
  • Adulteração na quilometragem;
  • Estado e desgaste do conjunto de pneus;
  • Veracidade do lacre da placa.

E também é feita uma análise à respeito dos dados cadastrais do veículo, como por exemplo a numeração do Renavam, numeração do chassi e motor, se o mesmo possui débitos em atraso como multas, licenciamento atrasado, entre outras pendências que podem acabar impedindo e dificultando a venda do mesmo, e a sua transferência para um novo proprietário.

Também é verificado se o veículo tem algum indicativo de sinistro, se já passou por leilão, e se possui algum histórico de roubo e de furto, até mesmo se possui algum recall pendente. Tudo isso é avaliado na vistoria cautelar.

O que é o laudo da vistoria cautelar veicular?

O laudo é o relatório completo obtido contendo todos os dados e informações citadas no tópico anterior após o veículo ser submetido a vistoria cautelar.

O mesmo tem como principal objetivo certificar que o carro está totalmente aprovado para poder rodar, por isso essa vistoria é bastante rigorosa, devendo sempre ser realizada por empresas que são especializadas e que são certificadas pelo Conselho Nacional de Vistoria Veicular (Cnvv).

Esse é o órgão que regulamenta todas as empresas credenciadas em vistorias automotivas (ECV’s).

O que pode causar a reprovação de um veículo na vistoria cautelar?

A reprovação do veículo poderá acontecer por diversos fatores, principalmente quando existe alguma divergência com itens e componentes originais de fábrica do carro.

Confira quais são os principais motivos de reprovação:

  • Suspensão adulterada: isso ocorre com carros rebaixados e não regularizados;
  • Número do chassi incorreto ou ilegível: a numeração do chassi informa muitos dados sobre o veículo, por isso se o mesmo estiver ilegível ou incorreto pode causar reprovação;
  • Sistema de sinalização do veículo: as setas sinalizadoras devem estar em perfeito funcionamento e com sua cor original e fábrica;
  • Janelas e vidros: a grande maioria dos motoristas costumam aplicar películas nos vidros, mas o insulfilm deve seguir as normas do CTB;
  • Gravações nos vidros: as etiquetas e as gravações dos vidros também são verificadas durante a vistoria, saiba desde já que possíveis quebras ou até mesmo rachaduras podem causar uma reprovação.
  • Estado dos pneus: esse também é um item do veículo que deve estar em bom estado, pois o mesmo precisa oferecer segurança para o comprador, sem falar que os mesmos devem respeitar o tamanho que não podem ultrapassar a carroceria. E também costuma ser avaliado itens como os equipamentos usados na troca de pneus, como estepe, macaco e o triângulo sinalizador;
  • Documentação em dia: a vistoria cautelar analisa também a parte burocrática do automóvel, sendo assim toda a sua documentação será analisada. E se por ventura forem encontradas irregularidades será motivo para reprovação.

O veículo foi reprovado, o que fazer?

Se por ventura o veículo não for aprovado na vistoria cautelar, a única coisa que você precisa fazer é regularizar todos os itens que levaram a reprovação.

Depois de tudo regularizado basta solicitar uma nova vistoria. Nossa recomendação é que não coloque a venda o automóvel até que tudo esteja devidamente regularizado.

E ao comprador cabe a ele decidir se deseja adquirir um veículo assim, sendo que ele estará assumindo toda a responsabilidade.

Qual a diferença entre vistoria cautelar e vistoria de transferência?

Essa também é outra dúvida que muitas pessoas tem, pois bem, a vistoria cautelar veicular faz uma análise da procedência e também das reais condições do veículo para quem está interessado em comprar ou também vender um carro.

Assim sendo o laudo serve justamente para evitar que possíveis compradores caem em golpes ou sejam vitimas de fraudes, como por exemplo acabar adquirindo um veículo que foi adulterado, clonado, com pendências em atraso e até sinistro.

Enquanto a vistoria para transferência trata-se de um processo que é exigido pelos órgãos de trânsito quando um veículo é transferido de um proprietário para outro.

Então o veículo precisa passar pela vistoria de transferência para ter sua documentação regulamentada e assim poder rodar por ai normalmente.