Quanto Tempo Dura Uma Pastilha de Freio? Guia Completo

Descubra qual é a durabilidade média das pastilhas de freio. O que são, como elas funcionam na prática, e quais são os diferentes tipos. Saiba exatamente quando a substituição deve ser feita. Não deixe seu veículo sem freio.

qual é a duração de uma pastilha de freio

Com toda certeza que muitos motoristas proprietários de veículos se perguntam: mas quanto tempo dura uma pastilha de freio? Esse item de extrema importância para a segurança de todos (desde o condutor aos ocupantes) os motoristas possuem um limite de uso que deve ser observado.

E quando o mesmo for atingido, deverá ser substituída (trocada) por uma nova pastilha,  para assim continuar mantendo o sistema de frenagem em bom funcionamento no carro.


Nesse texto falaremos um pouco mais sobre esse item tão importante que são as pastilhas de freio, a sua duração e qual o momento certo de fazer a sua troca por uma nova. Então, fique conosco até o fim dessa breve leitura e saiba tudo à respeito do assunto.

O que são e como funcionam?

Pastilhas de freio geralmente são peças de tamanho médio ou pequenas, aproximadamente do tamanho de uma mão aberta, e fazem parte do sistema de frenagem de muitos veículos.

São itens necessários e essenciais para frear e parar o carro com total segurança. Quando os motoristas pisam no pedal do freio, eles esfregam as pastilhas nos discos, e está é uma ação necessária para a frenagem.


O disco caso não saiba é uma peça de metal que vai preso junto à roda do automóvel.

E esse tipo de atrito é o que possibilita a parada das rodas, cujo essa é a principal função das pastilhas, mas é claro que as mesmas não terão essas habilidades sozinhas.

Por isso quando falamos de um sistema de freios completo, essas pequenas partes são essenciais, e não podemos deixar de mencionar o fluido de freio que é fundamental para uma boa frenagem.

É importante notar que pastilhas de freios gastas só irão enfraquecer a capacidade de frenagem do seu carro, que não é nada bom.

Resumidamente, pastilhas gastas e de baixa qualidade colocam você e a vida dos ocupantes do veículo em risco, sem falar que as mesmas podem danificar o disco e causar danos adicionais a ele.

Se o seu freio estiver bom, você terá a oportunidade e até mesmo pode conseguir interromper uma colisão a tempo.

Mas caso contrário, se os mesmos estiverem ruins devido a problemas com suas pastilhas, provavelmente será impossível evitar um acidente caso necessite frear o carro para pará-lo bruscamente.

O que poderá ocasionar em uma colisão indesejada, causando estragos e também colocando a sua vida e de outros ocupantes caso houverem em risco, o que poderá te trazer prejuízos.

E nesses casos, é bastante comum que seja feito um laudo pericial para saber a causa real do acidente.

E caso seja realmente detectado que o acidente foi ocasionado pela falha nos freios, você será o responsável pelo ressarcimento dos valores e conserto dos outros veículos envolvidos, caso aja algum.

Tipos:

Agora que você já sabe o que é uma pastilha de freio, como ela funciona e para que serve, é necessário saber que existem diferentes tipos de pastilhas, ou seja, elas não são todas iguais, e possuem características que as diferenciam umas das outras.

É possível até mesmo que apenas um automóvel use diferentes pastilhas. O que ocorre, na verdade, é uma mudança no material usado na sua composição.

Podemos dizer então que existem três tipos de pastilhas, que são elas:

  • Metálicas;
  • Orgânicas;
  • Cerâmica.

Como mencionamos, o que diferencia os tipos são os materiais usados em sua composição, e cada um desse materiais podem ter a durabilidade diferente.

O que por sua vez também altera o valor desse item, bem como algumas outras características. A seguir, conheça mais um pouco sobre cada um desses tipos:

Mas quanto tempo dura uma pastilha de freio?

Para se chegar a um tempo médio, é necessário levar em conta o desgaste natural e a usabilidade do veículo, ou seja, o modo da condução do mesmo, sendo um fator decisivo na hora de calcular esse tempo.

É bastante comum que as montadoras definam como prazo médio, cerca de 10 mil quilômetros.

Sendo assim, mesmo que você tenha uma rotina de uso até que moderada, você deverá então substituir as mesmas a cada 10 mil quilômetros rodados, podemos dizer que se trata de uma manutenção preventiva, pensada justamente para reduzir os riscos de problemas com seu sistema de freios.

Entretanto, alguns especialistas no assunto recomendam que seja feita a troca das mesmas quando o carro tiver rodado de 30 a 40 mil quilômetros.

Geralmente essa recomendação inclui os sistemas de frenagens que utilizam o sistema de freio ABS.

É possível que o proprietário do veículo possa ter acesso a algumas outras orientações relacionadas a troca de pastilha, entre outros como a correia dentada do seu veículo, que podem ser facilmente encontradas no manual do proprietário.

E por fim vale frisar que, considere sempre a forma como o veículo é dirigido, ou seja, quanto mais agressividade na direção, mais vai exigir dos freios, e por sua vez menor será a duração das pastilhas, tendo em vista que o desgaste daquele material também será elevado.

Quando fazer a troca dessa pastilha?

Conforme já mencionamos anteriormente, o tempo para fazer a substituição das pastilhas do freio varia de acordo com o tipo de direção, mas no entanto, um aviso será emitido quando você deve substituir esse componente.

Antes de qualquer percepção do estado da peça, alguns carros emitem um alerta de substituição por meio de um sensor que passa pela pastilha.

Claro que isso nos carros mais modernos e novos.

Então, quando esses se desgastam, o sensor será ativado por energia cinética e energia térmica, indicando no painel do carro que as pastilhas necessitam ser substituídas.

Avisos assim acontecem também com possíveis defeitos no sistema de injeção eletrônica. Hoje em dia existem vários modelos de automóveis que não apresentam este aviso no painel, mas em certas situações a percepção do motorista é extremamente fundamental.

O tempo de substituição correto é aquele em que o espaço de freio fica bastante longo demais, indicando que as pastilhas estão gastas, além disso depois que elas desaparecem (se desgastam), elas começam a fazer ruídos ou chiados metálicos, como batidas de ferro.

Isso acontece quando a pastilha já não existe mais e que restou apenas o suporte metálico que sustentava ela, fazendo com que entre em contato com aquela superfície e produza ruídos.

Embora o disco esteja em ótimas condições de uso, quando se realiza a troca de pastilhas, é necessário ter em mente que existe um período médio de mais ou menos 300 quilômetros para que esse disco seja amaciado.

O que poderá causar uma pequena perda de eficiência, mas que logo voltará ao normal e você poderá usá-la até que chegue o momento de realizar uma nova troca.